Filme nº 8 – The Last 5 Years

fevereiro 16, 2015 at 3:42 pm (filmes) (, )

1.171988

Diretor: Richard LaGravenese

Roteirista: Jason Robert Brown (baseado no musical), Richard LaGravenese (roteiro)

 

The Last 5 Years é um musical que eu entrei em contato há 2 ou 3 anos, não lembro ao certo como, mas eu conheci a trilha sonora do musical, infelizmente não consegui ver nenhuma gravação da peça em si, porém pelo que eu ouvi das canções e pelo que li do espetáculo sempre me pareceu um musical que ficaria bem adaptado para o formato de filme.

Então saiu The Last 5 Years estrelado por Anna Kendrick e Jeremy Jordan. O filme é uma historia de amor, uma historia de amor real, legítima, verdadeira e não uma romantização a lá conto de fadas Disney. È o tipo de historia de amor que eu e você podemos viver ou ouvir que algum conhecido viveu, é aquela historia que tem começo, meio e fim, por que sim, muitas histórias de amor um dia chegam ao seu final e não há nada de errado nisso.

O interessante em The Last 5 Years é que vemos o romance do ponto de vista da Cathy e do Jamie, mas ela conta do final para o começo e ele irá contar começo para o final e isso pode ficar um tanto confuso para os desavisados, o único ponto onde ambos estarão na mesma pagina será no meio do filme quando ambos chegarem ao ponto do pedido de casamento.

Quando eu tive contato com o musical não havia percebido o quão babaca e estupido era o Jamie, que personagem nojento. Ele é realmente irritante, estamos acompanhando um romance que está fadado ao fracasso, mas o que acontece é que no instante que tudo começa a dar errado na relação ele simplesmente desiste, a primeira coisa que ele canta após o casamento é sobre como é difícil resistir a tentação da existência de outras mulheres no planeta. O que eu consigo tirar do filme é que o Jamie é uma pessoa leviana que é incapaz de manter as próprias calças, foi mimado quando criança e que prefere correr a lidar com seus problemas.

Não que a Cathy seja a miss perfeição, ela tem defeitos. Ela tem sua cota de inseguranças e problemas, mas ela ao menos tenta, ela se doou a essa relação e recebeu em troca um par de chifres. Independente de você considerar a Cathy egoísta, egocêntrica ou não, bem, nada justifica o que ele fez.

Como filme, The Last 5 Years é okay, se você gosta de musicais ou da Anna Kendrick você vai curtir, ele é curtinho, dura 94min, eu preferia que ele tivesse 120min com esse tempo adicional tendo sido gasto com diálogos não cantados, por que o excesso de cantoria prejudicou um pouco, ficaram alguns buracos. Se você quiser assistir ao filme, cool, se não quiser assistir cool também, mas a trilha sonora eu recomendo.

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Sobre o Direito do Copo Meio Vazio.

fevereiro 14, 2015 at 2:21 pm (aleatorias)

raiva

Outro dia eu fui chamada de negativista por que eu não tolero o mínimo de opressão. Se o cara é minimamente machista/racista/LGBTfobico eu vou escorraçar e ficar puta e brigar mesmo, mas aparentemente milhares de pessoas acham que tem o direito de ditar como eu, a pessoa que sofrer opressão, devo me sentir e reagir.

Minha casa foi assaltada, eu perdi tudo. Levaram meu celular, minha câmera fotográfica e meu HD Externo, agora eu sou uma fotografa que não apenas não fotografar, como não tem mais portfolio por que levaram backup dos meus arquivos fotográficos e recentemente meu computador deu pau. Além de outros fatores que eu não estou afim de discutir agora, minha vida tá uma grandiosíssima merda no momento.

E eu preciso ouvir de todos, incluindo amigos muito bem intencionados perguntas ridículas do tipo “Mas você tá bem” ou frase do tipo “Pelo menos algo pior não aconteceu”. NÃO. PUTAQUEPARIU.CARALHO.VAI PRA MERDA.BUCETA. SE FUDER. Eu tô com raiva, eu tô revoltada, eu estou em um estado de paranoia onde eu não consigo me sentir confortável e segura na minha própria casa e eu não tenho lugar nenhum pra ir. Eu tenho instabilidade emocional e psicológica devido a minha bipolaridade e eu não tenho como entrar com contato com a minha psicóloga por que meu celular foi roubado. Eu sou uma profissional que não tem mais condições de trabalhar. Honestamente? Eu preferia que os assaltantes tivessem entrado em casa enquanto eu estivesse presente e me matado, ai eu não teria que lidar com nada disso.

Desculpa, mas não vem me pedir para ser positiva, otimista, ver o lado bom das coisas, o copo meio cheio. Pra putaquepariu com tudo isso, eu quero o meu direito de ter raiva, que expressar meu ódio sem ter que ser silenciada ou preocupada em deixar desconfortável terceiros. Quem fala sobre copo meio cheio não está respeitando a minha dor, não está respeitando o meu direito a me sentir mal e ter raiva e expressar emoções e reações naturais. Essas tentativas de reconforto fazem é piorar, me deixem ter raiva e me descontrolar e gritar e chorar e ficar mal, apenas sorriam e balancem a cabeça. Pera, não sorriam, só balancem a cabeça.

E isso não é um post especifico onde eu estou externando uma raiva particular ou especifica a nenhum amigo, conhecido ou leitor. Isso aqui não é pessoal, minha raiva é uma raiva circunstancial do qual eu acho que todos temos direito a ter durante a nossa vida.

Link permanente Deixe um comentário