Existe Diferença Entre Amizades de Pessoas de Sexualidade Diferente?

dezembro 27, 2014 at 6:17 pm (aleatorias) (, , , )

blog2

Eu estava um dia no youtube vendo alguns vlogs e um deles tinha essa frase, eu comecei a ver o vídeo e essa pergunta ficou na minha cabeça. Se você quiser assistir o vídeo ele é esse que se encontra aqui em baixo.

 

Se você viu o vídeo, ótimo, você além dos seus próprios pensamentos está tendo pensamento sobre o que outras pessoas pensaram. Senão, tudo bem, os seus pensamentos ainda são muito válidos. Assim como a pessoa do vídeo, eu joguei essa pergunta nas minhas redes sociais. E eu recebi alguns insights interessantes.

O primeiro começa com a confirmação do que foi dito no vídeo. Entenda que em nenhum momento estou considerando o fator homofobia nessa conversa. A maioria das pessoas que diz “eu não vejo diferença nenhuma entre amizade com pessoas heteros e pessoas queer” são heteros. Agora quando é uma pessoa queer, ela diz que sim, sente uma diferença. E como eu disse, eu não estou falando de homofobia, de “eu tenho medo que minha amiga dê em cima de mim” ou “não fico desconfortável de trocar de roupa na frente dela por que ela é queer”. Não é isso.

Eu quando comecei a questionar minha sexualidade só tive “coragem” de falar com amigos queers. A primeira pessoa pra quem contei que tinha um interesse em uma menina e que eu não sabia o que fazer com isso foi um amigo gay. Por que ele passou por essa experiência de gostar de alguém do mesmo sexo, nenhum amigo hetero meu teve isso, ou eles não seriam heteros.

Eu tenho amigos que são narnianos, pessoas que vivem no reino encantado do armário e só tem amigos heteros, eles esconderam namoros de mais de um ano dos amigos, mas eu sabia de tudo. Eu conheci as pessoas com quem namoravam, basicamente eu era a única pessoa com quem esses amigos podiam ser 100% eles mesmos.

Sexo. Claro que eu falo de sexo com qualquer pessoa, mas quanto mais intimido de alguém, melhor eu me sinto ao falar de sexo. Eu não dou detalhes do que faço ou deixo de fazer com amigos homens, eles também não me dão detalhes. Existe um código silencioso, quando falo com amigos homens heteros fica no “peguei” “fiz sexo” “foi ótimo”, eles não querem os detalhes e eu não me sinto confortável em dar. Se falo com amigos gays ou amigas mulheres em geral eu falo do sexo que faço com homens, ai as vezes vai tamanho, o que ele deixou de fazer, o que ele foi bom fazendo, quantas vezes aguentou e se eu fiz ou não sexo com garotas. Agora se eu falo com alguma amiga que também gosta de meninas não existe limites, eu sei tudo sobre certas pessoas.

Se eu sofro algum ato de preconceito, por mais que algum amigo hetero tente me reconfortar não é a mesma coisa, por que só outra pessoa LGBT sabe a dor que eu tô sentindo. Por mais que eu saiba que os heteros têm boas intenções, os conselhos, dicas ou o que quer que eles oferecem são vazios. É como eu chegar pra um cego e falar que eu consigo imaginar como ele se sente, eu não consigo. Eu tenho como conseguir, eu vejo, eu sei o que são formas e cores e minha vida é tão mais fácil assim, não importa o quanto eu leia sobre cegos, o quanto eu escute o relato deles, eu nunca vou entender o que  é ser um.

E acho que por isso a maioria dos meus amigos é gays, lésbicas, bissexuais ou pessoas queer no geral. Existe esse senso de comunidade sim, meus pais não me colocaram pra fora de casa por eu sei bi, mas eu tive esse medo. Eu lembro do nervosismo que foi contar pra duas amigas que são católicas sobre estar apaixonada por uma garota, pra elas não foi nada, tenho certeza que nenhuma delas lembra o que me disse no dia, mas eu lembro.

Então sim, a minha sexualidade afeta as minhas amizades. Eu não estou dizendo que eu só sou amiga de pessoas queer ou que a amizade com pessoas queer é mais importante pra mim do que a amizade com pessoas heteros. Não é isso, apenas estou dizendo que as amizades são diferentes. Sabe quando você tem uma amiga que tem o mesmo tamanho que você e vocês podem compartilhar roupa, isso é algo que vocês dividem e é maneiríssimo, vão haver muitos amigos que você não vai poder fazer o mesmo, ainda serão seus amigos tanto ou as vezes mais do que com a amiga da roupa, é apenas uma amizade diferente.

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Minha Relação com o Natal

dezembro 25, 2014 at 9:13 pm (aleatorias)

carmilla

Eu estou tentando escrever algo há alguns dias, mas sabe quando nenhuma palavra faz muito sentido? Esse é um blog pessoal e deveria ser minha forma de expressar o mundo, no entanto só faz sentido expressar algo se houver alguém para receber essa mensagem e boa parte do tempo eu simplesmente acredito que essa pessoa não vai entender ou se importar com a minha mensagem.

Eu tenho esse senso de isolamento, desde que eu comecei a ler sobre psicologia e antropologia e geração de crianças crescidas nos anos 90, acredito que essa seja uma sensação comum da minha geração. A gente acha que ninguém nos entende, que somos mágicos flocos de neve incompreendidos. Eu não acho que exista nada mágico sobre mim, porém eu acho sim que muita gente não consegue entender minha visão do mundo e  eu não sei expressar direito e vou acabar fazendo alguém sair irritado, sejam os outros ou a mim mesma.

Por exemplo, é Natal. Aquela gostosa época do ano onde pessoas normais estão falando sobre renovação, nascimento de Jesus, bondade, reunião da família e blablabla. Enquanto isso as pessoas da internet estão odiando o Natal e falando como reunião familiar é sempre uma bosta e você tem que aguentar a heteronormatividade familiar das tias perguntando “e os namoradinhos” ou seu tio chato e/ou bêbado fazendo a piada do pavê.

Agora vejam, eu não sou católica ou cristã, na verdade eu não tenho religião ou mesmo acredito em Deus. Jesus não nasceu em dezembro e não acho que é preciso uma data do ano pra me lembrar de ser bondosa. A única família que eu tenho contato é um irmão [tenho uma irmã torta, mas isso é completamente diferente] que é a pessoa menos heteronormativa que eu conheço. Ninguém na minha casa faz a piada do pavê.

A única grande diferença que eu tive, foi que ontem eu fiquei cozinhando comida pra um batalhão e comi tanto quanto eu achei que fosse desmaiar a qualquer minuto. Agora eu poderia ter feito isso qualquer dia do ano, meu irmão iria topar se empanturrar de comida se eu sugerisse.

Desde que minha mãe faleceu o Natal é mais um dia no ano e quando eu digo isso deveria ressoar como uma frase melancólica levemente sofrida, gerando alguma espécie de dilema ou poética, mas eu digo sem peso. Nem o senso de melancolia eu tenho mais.

Eu sinto a falta da minha mãe no natal tanto quanto eu sinto no dia 15 de julho ou no dia 6 de outubro ou no dia 21 de maio. No Natal eu sinto menos falta dela do que sinto no dia do meu aniversario, no dia do aniversario dela, no dia do aniversario do meu irmão e no dia que ela faleceu.

Sabe o que me deixa triste no Natal? É que é aniversario de uma pessoa que foi muito importante na minha vida e eu não tenho mais ela, então eu não tenho como desejar feliz aniversário. Eu sentiria isso se a pessoa fizesse aniversário no dia 3 de junho.

Como o dia não significa nada pra mim eu sinto a urgência social de sair desejando feliz natal. Claro que eu entendo que para muitas pessoas esse dia significa algo, eu respeito isso e se eu encontrar você na rua eu provavelmente vou lhe desejar um feliz natal, também desejarei se você me ligar, mas não espero uma mensagem do tipo minha no whatsapp ou twitter ou inbox ou nada. E se você pensa em me mandar algo do gênero, não faça, como eu disse, não significa nada pra mim, você quer demonstrar seu carinho ou o quanto você se importa comigo, sei lá, pergunte se eu tô bem ou me deseje… Já sei, me deseje bom Doctor Who.

 

P.S.: Se você quiser me dar presente fique a vontade, eu disse que natal é um dia como outro qualquer e eu aceito presentes com profunda gratidão em todos os 365 dias do ano.

Link permanente Deixe um comentário

Top 2014: Musicas Que Fizeram a Minha Cabeça

dezembro 17, 2014 at 9:07 pm (Top) ()

top 2014

Depois de um belíssimo. sensual e por que não dizer sensual top Pessoas Que Fizeram Meu Coração Parar, chegou a vez da música. Eu provavelmente estou esquecendo muitas músicas que eu ouvi sem parar em 2014, mas é por que minha memoria só guarda informações importantes como cada mínimo detalhe ocorrido nas mil séries que eu assisto. E depois de lista feita essa é a mais coerente lista que eu já fiz de música, normalmente eu vou do metal ao country.

Beyonce – Jealous

Se você achava que eu iria começar com alguém que não fosse Queen Bey, you know nothing, Jon Snow. Acho que essa música é uma surpresa pra qualquer um que me conhece. I’m not the jealous type, sem falar que acho que a maioria das pessoas não  da muito bola pra essa música no album. Eu simplesmente amo, de verdade, fico repetindo aleatoriamente durante o ano o “if you keep your promise i’m keeping mine”. E se você assiste ANTM, no video, a Renee do ciclo 20 aparece.

Demi Lovato – I Really Don’t Care

Eu gostei muito do album DEMI, odiei a capa, mas as músicas eu curti. Acho que são bem quem é a Demi ou ao menos a imagem que ela transmite pros fãs. I Really Don’t Care é minha música favorita com Something That We’re Not, as duas músicas são bem animadas e pra cima, mesmo tendo letras meio raivosas do tipo “Sai da minha vida e me deixa em paz, que não sou obrigada”. Melhor ainda a Demi ter escolhido mudar a ótica da mensagem de I really Don’t Care sobre ser uma break-up song e fazer um hino sobre ser você mesmo.

Ed Sheeran – Photograph

A lista é de músicas e não videos, por isso Thinking Out Loud não entrou, apesar de amar a música. Eu sou apaixonada pelas letras do Ed, ele é único artista que eu gosto de todas as músicas em seus albuns, não existe uma música no + e no X que eu não tenha gostado. Escolhi Phorograph, mas poderia ter sido I’m a Messy também.

Taylor Swift – Blank Space

Eu gostei muito de 1989, acho que RED ainda é meu album favorito, mas nesse album eu não desgostei de nenhuma canção e só agora, depois de ouvir o album completo em torno de umas 100 vezes as letras estão começando a me atingir do jeito que normalmente a Taylor consegue. Escolhi Blank Space por que amo o video, mas também vale citar Bad Blood e Wonderland.

Gabrielle Aplin – Please, Don’t Say That You Love Me

Escolhi Please Don’t Say That You Love Me, mas poderia ser Panic Cord, as duas músicas ecoaram perfeitamente na minha cabeça. Agora escolhi essa por que foi a primeira vez que encontrei alguém capaz de expressar exatamente a minha visão do amor. Sou sempre tida como fria, algumas insanas pessoas até tem essa absurda ideia de que sou uma player com uma longa lista de conquistas, quando eu sou o exato oposto. Então essa música expressa bem o que eu tenho por amor e como eu me comporto nele.

Rixton – Make Out

Como Rixton entrou na minha vida eu não tenho certeza, mas poucas músicas ficaram como Make Out. Ela é uma música tão viva e dá vontade de sair dançando pelo quarto feito uma idiota e a letra é apenas fantástica, fala com a minha alma de forma profunda.

Beyonce – XO

Amo Amo Amo Amo. Tá na lista de música que vai tocar se um dia eu inventar de casar e isso não é algo discutível. E eu só aceito a voz da Beyonce nessa música, desculpa, nenhuma outra voz consegue me impactar como a dela.

The Vamps – Somebody To You

Eles ocupam o gap que Jonas Brothers deixaram, é uma boy band que toca instrumentos e são fofinhos. Devo dizer que eu adoro como eles respeitam mulheres de uma forma geral e que são uma banda Yes Homo pra vida, sério, eles vira e mexem dão selinho um nos outros no big, se alguém pergunta quem eles estão namorando eles dizem uns aos outros. E música com a Demi sempre agrada meu coração.

Fifth Harmony – Reflection

Eu estou com essas meninas desde 2012 no X Factor e dá um orgulho ver elas crescerem e chegarem com músicas assim e apresentações on point. E assim, não é apenas a volta dos Girls Group, mas são 5 POC passando uma mensagem de empoderamento feminino para milhares de garotas adolescente pelo mundo.

Beatz – Problem

Eu até gostava da voz da Ariana Grande na época do Victorious, mas fora disso, no geral a voz dela não me desse, só gosto em Break Free. Por isso eu escolhi o cover de Problem feito pelas meninas do Beatz, um girl gruop australiano que foi injustamente retirado do X Factor Au.

Sam Tsui – Talk Dirty

Talk Dirty eu gosto da original, de verdade, mas a voz do Sam Tsui e os violinos fazem desse cover algo muito especial.

Bastille – Pompeii

Primeiro eu quero declarar meu amor incondicional ao Dan Smith e ao cabelo dele. Depois a letra dessa música simplesmente não saiu da minha cabeça desde a primeira vez que eu ouvi, sem brincadeira. Tem muitos dias que eu simplesmente acordo com alguma frase aleatória dela repetindo na minha mente sem motivo e lá vai o dia todo falando “But if you close your eyes” ou “How I gonna be optimist about this?” .

The 1975 – Girls

The 1975 é uma dessas bandas que eu não falo muito por ai que escuto ou gosto, é uma dessas bandas que eu não seria rapaz de reconhecer os integrantes mesmo se eles estivessem do meu lado e eu nem sei o nome deles. E eu gosto de manter isso assim, eles fazem a música e eu adoro e nossa relação acaba ai.

Nicky Minaj – Anaconda

My Anaconda Don’t… Amo/sou essa música e o clipe é É O Tchan na Selva e não tem problema, continua sendo incrivelmente foda.

Beyonce – ***Flawless

Se você achou que eu poderia terminar essa lista com outra música, you know nothing, Jon Snow.

Link permanente Deixe um comentário

Top 2014: Pessoas Que Fizeram Meu Coração Parar parte 2

dezembro 16, 2014 at 7:04 pm (Top) ()

top 2014

Segunda e final parte do top Pessoas que fizeram meu coração parar. Olha, devo dizer que esse foi um especial ótimo de se fazer, ficar pesquisando fotos dessas 50 pessoas maravilhosas foi minha alegria.

25. Lindsey Morgan

Lindsey Morgan

Ela é a bad ass mecânica especial de The 100, ela é sassy, ela é foda e parece a irmã mais nova da Naya Rivera, como não ama-la?

24. Tyler Posey

Tyler Posey

Look this cutie pie. Ele é o meu if I have to pick a dude em Teen Wolf, não tem outra opção pra mim, ou é Scott McCall ou uma das garotas. Ainda mais quando eu soube que ele super topa explorar a bissexualidade do Scott na série.

23. Marie Avgeropoulos

Marie Avgeropoulos

Sério, vamos conversar sobre o que tem na água do Canada, por que chegou num ponto que não é justo com o resto do planeta. Bad Ass Worrior Princess Octavia tá ai provando que o Canada tem algum projeto secreto de dominação mundial pela beleza, só isso explica.

22. Natasha Negovanlis

Natasha Negovanlis

Ah satan, por que ela sabe que veio aqui arruinar vidas e está feliz com isso. Natasha é linda de todo jeito e com todas as vozes que é capaz de fazer, mas quando ela tá com esse cabelo curto e transita na androgenia me fazendo confundi-la com o Ezra Miller, esse é o momento que ela tem meu coração.

21. Adelaide Kane

Adelaide kane

Queen Mary da Escocia, Cora Hale ou como você quiser chamar essa adorável australiana que roubou meu coração na primeira cena dela em Teen Wolf. Como resistir a uma australiana? Especialmente quando ela é tão nerd que vai fantasiada de Mulher Maravilha pra Comic Con quando tem panel da própria série lá.

20. Elizabeth Henstridge

ELIZABETH HENSTRIDGE

Jemma Simmons é britânica, fã de Doctor Who, gênio e adorável. Ninguém aqui culpa o Fitz por ter uma crush nela, ou a Skye pelo mesmo motivo.

19. Nick Jonas

Nick Jonas

Fui fã dos Jonas Brothers mesmo e ai? Vai me processar por isso. E a criança cresceu tão bonito, mas tão bonito.

18. Kat Graham

Kat Graham

Odiando ou amando a Bonnie, você precisa reconhecer que Kat Graham é a atriz mais bonita do cast de TVD, seja você Team Delena, Team Steroline, Team O Raio Que Te Parta, olha pra ela. Essa mulher é linda e ela canta, dança e atua.

17. Arden Cho

Arden Cho

Uma vida inteira baseada em eu podia ficar encarando essa mulher sorrir pela eternidade. Sério, olha esse sorriso. E os olhos dela são a coisa mais linda. E ela ainda canta, luta arte marcial, o pai é instrutor de algo ai e consegue ser a coisinha mais fofa dessa vida. Kira foi um presente na minha vida e Arden Cho também.

16. Elise Bauman

Elise Bauman

WORST.CRUSH.EVER.

15. Rita Volk

Rita Volk

Eu quero aqui fazer meu profundo agradecimento a Rita Volk e a sua personagem em Faking It, Amy, por estarem proporcionando que diversas garotas descubram suas sexualidades, eu serei eternamente grata a isso.

14. Sasha Pieterse

Sasha Pieterson

Eu gostaria de deixar bem claro que a Sasha tem 19 anos, acontece que ela tem essa mesma aparência desde os 12. Ela fez alguma forma de pacto com alguma entidade e ela não envelhece ou envelhece de forma muito devagar. Agora o que realmente é sexy nela é a voz, tá no meu top 5 vozes sexy da historia.

13. Phoebe Tonkin

Phoebe Tonkin

Australianas e seus sotaques *suspiros*. Phoebe tem esse ar de “sua mãe vai dizer que ela é problema”, mas é uma das pessoas mais sweets que alguém pode encontrar, ela é fascinada por colegais francesas, health food e moda, além de ser a pessoa mais estabanada que existe na face da terra. Você tem que amar essa menina.

12. Chloe Bennet

Chloe Bennet

Um terremoto de mulher. [Quem entendeu a referencia levanta a mãozinha, quem não, joga no google Quake Marvel].

11. Emily Bett Rickards

Emily Bett Rickards

A alteração sobre quem e como é a Felicity no universo DC foi a segunda melhor ideia que a equipe de Arrow teve na série. Como não amar a Felicity, essa pessoa que transcende sexualidade e gênero e deixa tudo e todos apaixonados.

10. Natalie Dormer

Natalia Dormer

She’s beauty, she’s grace, she’ll punch you in the face.
Eu ainda diria obrigada.

09. Dianna Agron

Dianna Agron

Dianna Fucking Agron, but you can call her, Charlie.

08. Caity Lotz

Caity Lotz

Aqui está a melhor alteração do universo DC feito pelos roteiristas de Arrow, uma bissexual Canario <3. Nunca vou lhe esquecer, nunca, nem as suas sardas, damn they’re pretty. Por que? Eu nunca vou aceitar isso.

07. Crystal Reed

Crystal Reed

Eu tenho o mesmo estilo de mulher que o Scott McCall, If you can kick my ass, you can take off my pants. Especialmente se você tiver um sorriso como esse.

06. Claire Holt

Claire Holt

Australia, obrigada. Sotaque, sardas, ela é mais alta que eu [coisa ultra rara nesse mundo] e o tipo de garota que vai as 3 da tarde num bar tomar uma pra relaxar. Por favor, casa comigo.

05. Yvette Monreal

Yvette Monreal

Essa sou eu procurando quem é responsável pela escalação de elenco de Faking It pra mandar uma cesta de muffins. Minha vida nunca mais será a mesma depois que Yvette entrou nela, já falei que ela é latina e tem uma voz sexy e cabelo colorido?

04. Candice Patton

Candice Patton

Me chama de Flash e faz um blog sobre mim, sua lynda.

03. Katie Stevens

Katie Stevens

Essa é o Karma que eu quero na minha vida. Que me desculpem as fãs da Rita, mas meu coração é da Katie. Vocês já repararam o quão beijavel são os lábios da Katie? Olhem com bastante atenção. Depois reparem nas pernas dela, ela tem as melhores pernas de Faking It, fora que o cabelo é linda e a voz dela. E ela canta. E esses olhos. Gente, não tenho estrutura.

02. Sharon Belle

Sharon Belle

Eu sempre disse que preferia garotas mais baixas que eu [cof 5’2″ cof], mas é por que eu nunca encontro garotas mais altas. Ai me aparece esses 6’2″ de ginger amazon em Carmilla e eu me encontrei na vida. Eu achei meu unico e verdadeiro destino, casar com a Sharon Belle. Olha pra essa mulher.

01. Shay Mitchell

Shay Mitchell

Utilizando um comentário de uma amiga, ela deve ser ilegal em alguns países. Shanon Ashley Mitchell é a prova de que devemos ser gratos pela mistura das raças e de que eu seria incapaz de funcionar no Canada.

Link permanente 1 Comentário

Top 2014: Pessoas que fizeram meu coração parar parte 1

dezembro 15, 2014 at 9:08 pm (Top) ()

top 2014

 

O Ano praticamente acabou e eu resolvi que nada melhor do que fazer alguns top 2014 por motivos de eu adoro fazer listas. Acho tão divertido e nada melhor do que começar com um tema tão arbitrário quanto beleza, obviamente isso é algo subjetivo e não por que eu acho que essas pessoas fazem meu coração parar que vocês tem que concordar. Agora o Blog é meu e eu listo como eu quiser. E para não ficar muito longo, será dividido em duas partes. Hoje temos do 50 ao 26 e amanhã vem as 25 primeiras pessoas que fazem meu coração parar.

50. Scott Michael Foster

Scott Michael Foster

Ele é fofo desde Greek, apesar dos personagens dele parecerem sempre os mesmos, ele é o único cara em Chasing Life que tem meu coração. E esse sorriso.

49. Jesse Williams

Jesse Williams

Ele é lindo, tipo uma forma quase surreal de tão lindo, ele é bom ator e ele é ativista dos direitos Negros, foi um dos atores que eu mais vi falar sobre toda situação em Ferguson e quão problemático isso era e parece que ele era professor universitário. Depois disso basicamente ele aparece e casa comigo sai da minha boca.

48. Kat Dennings

Kat Dennings

Max é my animal spirit, um simples fato. E existe algo na voz da Kat que não sei explicar, mexe comigo. E ela tá em Thor e digam o que quiserem eu amo a personagem dela.

47. Adam Smith

Adam Smith

Ele é o fratboy que eu comecei odiando no ultimo ciclo de ANTM, mas acabai aprendendo a amar. Fora que ele é muito bom de se olhar e ele pedindo desculpa pelo babaca homofóbico que ele um dia foi e aquecer um coração.

46. Kerry Washington

Kerry Washington

Ela é Olivia Pope, eu preciso dizer mais que isso?

45. Sherri Saum

SHERRI SAUM

A Lena de The Fosters, por que eu nunca sei se é life goals ou wife goals. Provavelmente ambos, por que quando mais Lena no mundo melhor. Sem falar que esse cabelo é a coisa mais linda dessa vida.

44. Laverne Cox

Larvene Cox

Por que se Beyonce é Deus, Laverne Cox é Jesus. E eu já aceitei isso como minha única e verdadeira verdade. Que mulher, que mulher, que mulher. Laverne me dá vida.

43. Lana Parrilla

Lana Parrilla

Por que se existe um motivo que ainda me faz assistir OUAT é essa mulher. Quem quer discutir o quão sexy é a cicatriz dela próximo ao lábio?

42. Derek  Theler

Derek  Theler

O Danny de Baby Daddy é grande, gostoso, bobão e joga hockey. Meu tipo de cara.

41. Janel Parish

Janel Parrish

Janelzinha chegou em PLL como quem não quer nada e de mentira em mentira ganhou meu coração. Eu não superei o final do seu personagem e ainda estou chorando esse fato. Você é 1,57, mas no meu coração você sempre será 1,59 e bem que podia sair um album musical ou ao menos um EP agora.

40. Sara Ramirez

Sara Ramirez

Juro que se casasse contigo não te trairia e faria o possível pra não morrer.

39. Grant Gustin

Grant Gustin

Olha essa carinha, olha esse sorriso, venk me chama de Iris e cria uma crush em mim, seu lyndo.

38. Annie Briggs

Annie Briggs

Beautiful Talent Asshole.

37. Emily VanCamp

Emily VanCamp

Eu parei de ver Revenge no 3 episódio da segunda temporada, mas ela é Agent 13 e apresentou um especial de 75 anos da Marvel e eu uso qualquer desculpa que eu puder para falar dessa mulher e o quão linda ela é nessa vida.

36. Aja Naomi King

Aja Naomi King

Desde Emily Owens M.D ela é a bitch que eu amo ver na TV e eu defendo Aja Naomi até o final dos meus dias.

35. Maia Mitchell

Maia Mitchell

Ela tem 20 e alguma coisa okay. Ela é linda, ela canta, ela toca violão, ela é australiana e tem essa cicatriz na testa que eu acho adorável, eu tenho algo com cicatrizes. E eu suspeito que ela participou de algum projeto Leda.

34. Steven R. McQueen

Steven R. McQueen

Ele tá aqui por que é muito muito muito bom de se olhar.

33. Marjorie Estiano

Marjorie Estiano

Marjorie é um excesso. Ela é um talento cantando, um talento atuando, um talento como forma de vida baseada em carbono.

32. Paola Carosella

Paola Carosella

MasterChef Brasil foi uma grata surpresa, apesar de achar que os candidatos tinham um nível péssimo, o formato do programa sempre funciona e Paola entrou na minha vida, como posso agradecer por isso. O sotaque dessa mulher, eu podia ouvir ela falar a vida toda que tava pouco.

31. Meagan Tandy

Meagan Tandy

Meagan Tandy começou a ganhar meu coração em Jane By Design como a Lu, acho que era a única que gostava dela, mas quando ela voltou como a super bad ass Breaden meu coração virou dela e eu nada mas me importa.

30. Aisha Dee

Aisha Dee

Ela fez parte do elenco de I Hate my Teenager Daughter, mas acho que destaque mesmo veio quando assumiu o papel de Beth em Chasing Life sendo a melhor amiga que qualquer pessoa poderia querer e ela tem sotaque australiano.

29. David Ramsey

David Ramsey

Acho que quem me conhece sabe que o Dig não é exatamente meu tipo de cara, ele é grande e musculoso e nada afeminado. Mas ele é o lado emotivo do Oliver, tipo o grilo falante da turma, fora que ele é meio bobão e um Olicity shipper. It’s adorable.

28. Tatiana Maslany

ORPHAN BLACK : GALLERY

Tatiana é 30 pessoas em uma só. E é Canadense, não é preciso mais que isso.

27. Sophia Bush

???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Pode me chamar de clichê, mas ela tem voz rouca sexy,porte de arma e um distintivo. Ninguém pode esperar que eu não me apaixone por ela. NINGUÉM.

26. Ming-Na Wen

Ming-Na Wen

Se mulheres armadas são sexy, mulheres que não precisam de arma para acabar com você são infinitamente mais sexy. Além disso Ming-Na é super nerd, a goofyball e ela tem essa aparência aos 51 anos.

 

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Gerações, Girls Meets World e Tumblr

dezembro 12, 2014 at 4:05 pm (aleatorias)

geração-y-2

Acho que estou há dias escrevendo, deletando e escrevendo novos textos para postar aqui. O pior é que nem deletava por que achava os textos estavam ruins, mas o ponto é quando a ideia surgia motivada por algo externo e eu me empolgava e começava a escrever e lá no terceiro paragrafo já achava que ela não cabia mais ser exposta e deixa pra lá.

Tudo começou na terça quando eu resolvi que era uma boa ideia começar a ver Girl Meets World, a série continuação de Boy Meets Worl conhecida no Brasil como O Mundo É Dos Jovens. Agora acompanhamos a vida de Riley, filha de Cory e Topanga, e todo aquele trajeto que é tentar encontrar a si mesma no mundo quando sé tem 12 para 13 anos. Devo dizer que a série é bem feitinha, coerente com a série original e eu fico feliz que pessoas de 10 a 17 anos tenham essa série para ver.

O interessante de Girl Meets World é que nós ainda temos o Cory e a Topanga na série, eu cresci com eles, eu era a geração que viu Boy Meets World, então é natural que eu compartilhe um pensamento e visão de mundo similar deles, não sempre igual, mas próximo o bastante. E existe esse mundo novo de uma geração que eu não faço parte e que eu não entendo completamente.

Eu me dou bem com pessoas mais novas, talvez seja um complexo de Peter Pan que eu irei discutir na próxima sessão de terapia. Eu estou nas redes sociais e especialmente no Tumblr, acabo entrando em contato com esse universo dessa nova geração e é engraçado ver o comportamento dela.

Eu tenho total consciência hoje do quão pé no saco eu fui quando adolescente, de testar limites, confrontar autoridade, especialmente dos meus pais, mas talvez graças às cadeiras de psicologia que paguei na vida, entendo que isso é um comportamento normal e natural. É parte do que faz a gente aprender e formar nossa própria identidade. E eu também dei muita sorte de ter pais que apoiavam as minhas ideias absurdas que me permitiam explorar minha identidade, mesmo quando eles não concordavam com essas ideias.

Eu entendo como esses adolescentes se sentem e por que eles se sentem assim. Agora é engraçado como eles adoram criticar gerações mais velhas que querem regular seu comportamento e essas pessoas mais velhas ficam cagando regra e reclamando sobre tecnologia ou como séries, programas e conceitos de atualmente são piores do que os dos tempos deles. Essa tal Geração Me tem uma resposta na ponta da língua pra defender seu comportamento, ação e pensamento. É quase como se eles tivessem teses e teses de monografia, capazes de justificar a si mesmos, prontas só esperando o momento de quebrar as ideias de algum smartão velho.

Entretanto essa mesma geração Me é a primeira a dizer como os programas da Disney de hoje são infinitamente inferiores aos que eles viam quando crianças. Elas são as pessoas que adoram falar só uma verdadeira criança dos anos 90 compreende isso. Entre outras formas de garantir que eles são superiores as crianças criadas nos tempos atuais. Eles acabam sendo tão bitter quanto os smartões que eles discutem.

Acho que acabei caindo de novo naquele ponto do meu texto passado, estou na zona cinza. Eu sinto falta de não ter todo mundo a cara enfiada num smartfone, às vezes eu gosto de sair com pessoas que me fazem esquecer o quão ruim a 3G pode ser. Às vezes eu gosto de rever séries antigas, muitas séries são muito boas, algumas me marcaram profundamente e elas valem a pena. Agora eu nunca vou abrir mão da tecnologia, minha melhor amiga mora no interior de São Paulo e sem ela eu nunca nem teria a conhecido, eu só devo ter ouvido a voz dela uma vez, mas eu posso andar com ela no meu bolso, qualquer coisa mando uma mensagem no whatsapp e ela está lá, não só ela, a maior parte dos meus amigos estão do outro lado de uma tela. E existem séries boas hoje em dia, muitas novas séries são bem feitas e me marcam de alguma forma hoje em dia.

Nem tanto ao céu e nem tanto ao inferno. A Geração Me tem muitas qualidades e muitos defeitos, assim como os Baby Boomers tem qualidades e defeitos. Eu sou parte da geração Y, nasci no final dos anos 80, então estou literalmente entre as duas gerações numa espécie de limbo e honestamente? Eu gosto.

Link permanente Deixe um comentário