Sobre girls kissing girls

agosto 29, 2012 at 10:56 pm (Top)

Alguém que um dia foi muito especial uma vez disse que a gente tem mania de olhar pra fora quando precisa muito olhar para dentro. Eu poderia escrever mil e mil textos sobre o que vem acontecendo ou sobre o que tenho sentindo, só que não.

Então como hoje é o dia da visibilidade lésbica resolvi listar meus casais favoritos, da TV e filmes.

Brittany & Santana (Glee)

watch?v=EEvADgj4yd0

Glee e a fama de série mais gay da tv americana. Gosto da Brittany e por todos os motivos do mundo, gosto muito da Santana e sinceramente acho que poucos casais funcionam tão bem quanto as duas, tanto em Glee quanto em outras séries.

Willow & Tara (Buffy – a caça-vampiro)

watch?v=lczuTwvytEg

Acho que esse foi o primeiro casal les que eu gostei. E nem sei explicar direito os motivos de gostar das duas, elas apenas parecem certas quando estão juntas. Nunca gostei da Willow com ninguém, apenas com a Tara.

Paige & Alex (Degrassi)

watch?v=CyklW7zXQlI

Degrassi e a incrivel capacidade de ter os melhores personagens e os melhores casais. Quando, como e por quê isso aconteceu? Não faço ideia, mas isso não é nem remotamente relevante. Às vezes a gente um dia acorda apaixonada por quem deveria ser apenas nossa amiga. E o que mais gosto em Palex é que a Paige apenas de toda a overreacted (natural) ela não se preocupou com rótulos, ela simplesmente tava apaixonada pela Alex e fuck the world.

Fiona & Imogen (Degrassi)

watch?v=Gd5bYEnyBKQ

Fiona é complicada e problemática, Imogen é incompreendida e apaixonante. Como eu ainda estou no inicio da season 12 de Degrassi as duas ainda estão dando os primeiros passos no relacionamento, mas é tanto amor pelas duas que não tem como dar errado.

Leyla & Tala (I can’t think straight)

watch?v=2czEV9YniAQ

Todo mundo adora Imagine You and Me, bem, eu sou do contra. Não é que não gosto do filme, mas não vejo essas coisas todas. Ainda mais quando comparo com I can’t think straight. Leyla e Tala são complicadas, apaixonantes e donas de uma honestidade como casal que me faz querer ter uma historia assim.

Spencer & Ashley (South of Nowhere)

watch?v=VQuGEfzsZVw

Essa série é antiga, acho que de 2003, feita pela Teen Nick e boom na cara da sociedade o casal protagonista é lésbico. São três temporadas das quais eu vi duas, não vi a terceira pelo simples fato que não tenho coragem de dar adeus a Speshley.

Emily & Samara

watch?v=XBgR4AsYmNw

Eu odeio Emily com a Maya e simplesmente não suporto ela com a psicopata da piscina, que atende pelo nome de Paige. Por que eu sou o tipo de pessoa que não se contenta com coisa pela metade. Ou Emily fica com a Samara ou sozinha, casal meia boca é coisa de quem tem medo da solidão e eu tenho pouca paciência pra esse tipo de gente.

Naomi & Emily

watch?v=t-PRR6wvP7A

As melhores cenas, as melhores frases, o melhor casal. Sem mais, sem espaço para argumentos. Naomi e Emily são OTP para duas vidas e meia.

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Estar Cansada

agosto 26, 2012 at 1:27 am (aleatorias)

Eu estou cansada, cansada de me importar demais, me preocupar demais. De na menor vírgula errada correr com um kit de primeiros socorros e ter que implorar para ajudar. Não aguento mais me sentir responsável, de ir atrás de cuidar de quem quer que seja, de bancar a super heroína 24×7. Cansei de me desdobrar e ser compreensiva, de estar de prontidão pra socorrer.

Chega desse complexo de Rachel Berry, de querer tudo demais, de forma intensa. Chega de achar que existe algo nas entrelinhas, de brincar de interpretar aquilo que nem existe. Chega de segurar na garganta o gosto amargo para não magoar. Chega de ser forte, chega de ser covarde, chega de falar por indiretas.

Chega de receber respostas obvias para problemas que ninguém se deu ao trabalho de pergunta. Chega de se questionar onde termina a culpa na consciência alheia e começa a preocupação. Chega de testar os limites apenas para saber quem se importa e burla esse teste tendo medo da resposta ser um grande ninguém.

Vamos para com o drama adolescente e o exagero. Até nas séries quando é demais fica chato. Talvez essa blogoterapia não esteja resultando em nada, era resultar em algo?

O pior é falar tudo isso e saber que a pessoa que eu menos escuto na vida sou eu mesma, por que o problema é que eu não me acho errada nem mesmo por um segundo, eu acho os outros errados.

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Gostinho De Quero Mais…

agosto 11, 2012 at 12:33 am (aleatorias)

Terminei Secret Diary Of a Call Girl, uma maratona de 3 dias onde eu vi 4 temporadas, teria terminado antes, mas resolvi guarda a quarta temporada um dia a mais. E terminei querendo mais de Hannah/Belle, porém sinto que a historia não teria para onde ir.

Então tecnicamente foi o melhor terminar ali, evitar enrolações desnecessárias. Certo? Mas eu ainda queria um pouco mais, apenas por querer um pouco mais.

E eu fico lembrando de outras coisas. Como daquele garoto por quem eu me apaixonei e que foi o único cara com quem eu quis casar. E que acabou meio sem acabar, meio sem nem começar.

Às vezes eu me imagino reencontrando com ele ou com outras pessoas por quem eu me apaixonei e reescrevendo minha historia, nossa historia. É uma fantasia meio boba, mas acho que todo mundo que já acabou alguém, que de fato amou e sabe disso e que essa historia terminou por que tinha que terminar deve ficar imaginando isso. Esse momento de ‘E se’.

Imagino ela chorando falando que eu era a melhor amiga dela e que quando ela mais precisou eu não estava lá. E eu com uma raiva contida na voz gritando que sabia estar errada, mas que isso não significava que a amasse menos do que antes ou menos do que agora. Melodramático, eu sei, sou meio melodramática mesmo.

Também imagino ele falando que ainda temos nossa chance, afinal nunca terminamos e eu diria que nunca começamos de verdade. Ele diria que eu sou a única que o entende e eu diria que ele nem me conhece de verdade, que ele se apaixonou por um ‘eu’ que talvez nunca tenha existido…

Enfim, são cenas e cenas. São historias que ficaram pela metade e que me deixam esse gostinho de quero mais. Eu penso nisso e depois de um tempo eu penso que ela ou ele nunca vão dizer exatamente aquilo que eu quero que digam e eu nunca vou reagir a eles do jeito que me imagino reagindo.

Eu vou gaguejar, tropeçar, ficar calada de forma estática sem entender o que eles estão fazendo ou pior, soltar uma piada ridiculamente ruim e ridicularizar o que está acontecendo. E lá se vai não apenas o relacionamento como as cenas épicas da minha mente.

Algumas coisas só funcionam na realidade, outras só na fantasia e você nunca deve misturar uma com a outra. De fato, algumas coisas é melhor ficar com um gostinho de quero mais…

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Meu Irmãozinho

agosto 7, 2012 at 1:47 am (aleatorias)

Sempre ouvi historias de irmãos que brigam, que quase se matam ou que são melhores amigos. Nunca parece haver um meio termo. Talvez por isso eu e meu irmãozinho sejamos esse meio termo. Pra que ser ou fazer aquilo que todo mundo faz.

Entenda, amo meu irmão, sempre amei. Eu gastei um presente inteiro de natal pedindo pra ganhar um irmãozinho pro papai Noel. Eu tinha 3 anos na época e não conhecia vídeo games.

Nunca brigamos ou nos desentendemos, mas eu sempre tive o meu canto e ele o dele. Nunca dividimos quarto. Minto, dividimos durante o primeiro ano de vida dele e só. E nem é por não nos darmos bem ou termos gostos diferentes, não. Habitamos o mesmo universo geek/nerd, porém ele é um gamer e eu sou, bem, eu sou eu.

Ele é vicia em vídeo games (faz até faculdade disso), mas gosta de algumas séries. Eu sou viciada em séries, mas gosto de jogar um tanto quanto. Só que meu irmão não é de falar e eu raramente sou de puxar conversa, quem me conhece sabe que não calo a boca, mas nunca sou a primeira a criar assunto, alguém puxa. Ele nunca puxa, eu raramente puxo. Moramos juntos sozinhos há um ano e meio e é quase como se morássemos os dois sos.

O jeito dele é o oposto do meu. Ele é o calmo, centrado, ajuizado, diplomatico. Eu sou briguenta, explosiva e reclamona. Ele é vinho, eu sou cerveja.

Independente disso tudo, ele é uma das pessoas que eu mais admiro. Ele é a pessoa que mais sabe de Doctor Who que eu conheço e olha que isso não é uma disputa fácil. E ele sabe muito muito mesmo sobre HQ, ficção cientifica, My little poney, guia do mochileiro das galáxias e outras coisas nesse gênero.

Ele é mais alto que eu, considerando que não sou baixinha isso é muita coisa. Ele é mais responsável que eu, mais inteligente também. E está fazendo 19 anos (oh good lord, tô velha) e ainda assim é meu irmãozinho e quem rir disso apanha!

P.S.: Se alguém pensar em dar em cima ou algo similar do meu irmão é uma pessoa morta, eu sou 15 vezes mais ciumenta com ele do que com qualquer pessoa do universo.

Link permanente 1 Comentário