Sobre Pirataria.

janeiro 23, 2012 at 7:36 pm (aleatorias)

Há alguns dias não se fala em outra coisa. SOPA/PIPA/ACTA são as novas leis ou acordos que os pais do mundo todo tem feito sobre o direito de compartilhamento de conteúdo de terceiros. O assunto se tornou sério quando o Megaupload, um dos principais sites de compartilhamento de arquivos, foi fechado pelo FBI e seus criadores estão sendo investigados pela justiça. Pouco depois outros sites similares começaram a ser fechados e o “desespero” se tornou geral.
Grandes sites já se posicionaram contra essa medida e muito tem sido tido sobre a censura virtual. Boa parte é drama exagerado, boa parte é gente brincando com a situação.
Porém vamos falar um sério um pouco, só para variar. Desde que a internet surgiu e que a maioria da população tomou acesso essa mudança vem acontecendo. A música se tornou virtual com os mp3, surgiram arquivos de vídeo (RMVB, AVI, etc) e até os livros são transformados para o formato digital. E assim como as pessoas emprestavam os produtos reais, no mundo virtual surgiu o compartilhamento.
É errado compartilhar arquivos? Tanto quanto é errado eu emprestar algum DVD ou CD para um amigo, quem nunca fez isso? No mundo virtual acontece que não precisamos conhecer a pessoa ou ter o mínimo de contato, basta ela ter colocado o arquivo lá e pronto, podemos emprestar e pegar emprestado tudo de todo mundo. Não vejo problema nisso.
As indústrias de mídia, seja audiovisual ou da musica, reclamam de pirataria. Até onde eu entendo pirataria é o ganho de dinheiro usando indevidamente conteúdo de terceiros. Pirataria é o ambulante que vende CD/DVD não original e tem o seu sustento em cima disso. Tanto que sou contra a compra de contas premium em sites de compartilhamento.
Assim como sou contra a compra de produtos piratas. Sim, eu baixo músicas, filmes, séries, livros, show e outra infinidade de arquivos disponíveis pelo reino encantado da Internet.
Agora qual o posicionamento que eu tomo para impedir que essas empresas saiam prejudicadas com a minha pratica? Eu não compro piratas e mais do que isso, eu consumo sim produtos originais. Tenho 16 box de séries, tenho algo em torno de 20 DVD’s de filmes e show’s. Compro cd’s originais e livros. E não pense que só compro daqueles que eu não achei o arquivo para baixa não, pelo contrario a maioria dos que eu comprei e compro são exemplares reais daquilo que eu tenho baixado no meu computador.
Peguemos o exemplo de Glee. Tenho numa pasta todos os arquivos de mp3 e tenho todos os CD’s da trilha sonora. O mesmo com o álbum Speak Now da Taylor Swift ou a discografia da Demi Lovato.
Sim, eu baixo arquivos. Sim eu uso sites de compartilhamento. Não, eu não deixei de ir ao cinema, não eu não deixei de consumir CD’s mesmo com os preços abusivos. Quem baixa e quer continuar com o direito de fazer isso tem sim que consumir.
Sei que não sou a única a fazer isso. A melhor forma de argumentar com empresários é mostrando que continuamos gerando renda (dinheiro) para eles. Quantos vocês gastam mensalmente, anualmente comprando produtos originais… Se alguém conseguir juntar todos esses dados mostrando podemos argumentar com muito mais força contra essas leis absurdas. Existem pessoas que só baixam e não consomem, porém fechar sites de compartilhamento não vai fazer com que eles passem a consumir, vão apenas irritar absurdamente os clientes que até então consumiam.
Repressão nunca foi solução para nada, daqui a pouco achamos um jeito de compartilhar tudo outra vez e nós que consumimos vamos cansar de gerar renda para quem não permite consumir nossos produtos do nosso jeito. Alguém precisa lembrar que o cliente tem sempre razão e que eu, assim como você que está lendo, continuamos sendo clientes.

Link permanente 3 Comentários