Sobre uma nova paixão

junho 24, 2011 at 10:38 pm (aleatorias)

Eu sou dessas que se apaixona perdidamente por algo. Música, escrita, produção… Algo, essa coisa meio artística é minha válvula de escape. Eu sempre preciso arrumar uma forma de me expressar, de extravasar quem sou.

É como se houvesse muito de mim e eu não conseguisse suporta, então eu jogo nessa brincadeira de tentar fazer arte. Escrevo contos, poemas, textos e afins. Já cheguei a ensaiar compor músicas. Brinquei com teatro, talvez a brincadeira mais boba de todas, não sou atriz, talvez quem fique nos bastidores.

Eu sempre tive uma pequena queda pela fotografia, sempre tive vontade de fazer curso, de estudar e ser fotografa. Minha inabilidade no desenho causou isso, imagens para mim dizem muito, nunca soube desenhar ou pintar. Devo ter cabulado as aulas da educação infantil. Fotografia seria essa forma de trabalhar com a imagem.

Esse semestre eu paguei a cadeira de introdução à fotografia. E o que era um pequeno flerte juvenil se transformou numa paixão avassaladora. Composição, conceitos, fotógrafos tudo. Penso quase a todo instante.

Essas são algumas das composições que fiz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

About Silly Love Songs

junho 12, 2011 at 8:58 pm (aleatorias, Top)

 

E chegamos à data mais silly do calendário nacional. Não me dou bem com datas comemorativas, em especial dia dos namorados. Mas queria fazer uma postagem aqui, ando meio afastada, sem saber o que escrever direito e acho que me força a escrever em certas datas pode ajudar a tirar esse bloqueio. Para terem ideia, iniciei essa postagem do dia dos namorados umas 6 vezes, mas nada ficava do meu agrado.

Silly Love Songs.

Havia pensado em colocar séries de tv, meus casais e citações favoritas. Mas estava aqui no meio do texto, completamente travada, e estava escutando músicas, Silly Love Songs na versão de Glee. Pareceu tão natural mudar os rumos e escrever das minhas love songs favoritas.

E não esperem canções bonitinhas, fofas e românticas. Eu não sou esse tipo, minhas músicas não seriam assim também. Mas vamos a listagem antes que eu mude mais uma vez de ideia.

 

One Republic – Apologize.

 

Amo essa música desde o primeiro instante que eu a ouvi. Todo mundo sabe disso. E ela fala sobre amor, a forma como eu geralmente vejo o amor. Aquela coisa de amar alguém e não ser amado de volta, a pessoa bem que gostaria de lhe amar de volta ou ao menos diz isso, mas é uma situação que não tem desculpas. É viver e deixar passar.

 

3 doors Down – Let me go

 

Você já amou alguém que sabia que não lhe merecia e ainda assim não conseguia deixar esse sentimento? Você sabe que aquela pessoa não lhe conhece como deveria, que não ama quem você é, no entanto está presa a esse sentimento, meio que implorando para ser liberada de alguma forma, sem saber como.

 

Taylor Swift – You belong with me

 

Essa provavelmente é a minha música. Eu sempre sou a melhor amiga e nunca a namorada. A que sabe tudo, a que entende, quem esta esperando ser vista e notada. Eu sou a garota de t-shirt e sneakers.

 

Lady Antebellum – Just a Kiss

 

Você gosta de alguém, você diz isso para a pessoa. Mas você quer que a pessoa esteja confortável, você quer que ela lhe queira de volta. Então você espera, dá para esperar, is just a kiss.

 

Quase Sem Querer

 

Nem sabia o que era amor quando escutei essa música, tinha algo em torno de seis anos. Legião me fascinava naquela época. Gostava daquelas letras que confesso não entendia direito, mas gostava. Cresci e fui gostando mais a medida que fui entendo. Quase sem querer, acho que é assim que tudo acontece, sem ser notado, ser percebido… Quando damos por si, lá esta aquele sentimento que não tínhamos antes, mas está ali.

 

Scracho – Divina Comédia

 

É doce, suave, exagerada. Adoro divina comédia, tanto o livro quando essa música do Scracho. Gosto de exageros. Gosto principalmente dessa poética frouxa e bobalhona. Não acredito nessa coisa de “você me dá tudo que eu preciso”, porém gosto dessa coisa de fazer o impossível para deixar o outro feliz.

 

Scott Porter and the Glory Dogs – Pretend

 

Falta algo, você sabe disso. Uma certa carência que não acaba, que não passa. Então um dia sem esperar por nada, sem imaginar, você nota que essa ausência acabou que diante de você está aquilo que você procurava.

 

Bryan Greenberg – Someday

 

Talvez amar seja essa certeza de mesmo distante, mesmo sem estar junto sabe-se que um dia vão volta a se encontrar. Que não é certeza, na verdade, é esperança. Talvez seja isso, talvez amor seja esperar e ter esperança.

 

Demi Lovato – Catch me

 

Amor vem com medo. É aquele receio de ser deixado, de se entregar e ter o coração partido. Porém é um medo quase gostoso de se sentir, acaba sempre envolvido demais. Que tudo seja feito com calma, gentilmente, que se possa aproveitar cada instante que antecede o fim de toda historia. Please, don’t catch me.

 

Silly Love Songs

 

Eu tinha que termina com a música que iniciou esse texto. Não sei explicar por que gosto tanto dessa música, simplesmente gosto. No final das contas, eu até posso ser um pouco romântica. E se alguém espalhar isso, eu vou negar!

Link permanente Deixe um comentário