Sobre o meu lado Silver

outubro 31, 2010 at 1:23 am (aleatorias)

Essas ultimas semanas foram cheias de assuntos. Eu só não conseguia reproduzi-las aqui. Por mais que seja um blog pessoal sobre mim, minha vida e toda a sua bagunça. Eu nunca me sinto completamente a vontade para contar tudo. Alguns assuntos são delicados demais, difícil demais de se falar.

Meu lado Silver. Primeiro eu tenho que explicar quem é Silver no jogo do bicho.

Silver é minha personagem favorita em 90210. Ela é adorável, a personagem de maior coração que eu já vi. Sensível, inteligente, dedicada, atenciosa… As qualidades dela são enormes. Existe um detalhe nela, ela é bipolar. Durante a primeira temporada vimos ela surta e se colocar em situações que quem acompanha a série a partir da temporada não imaginaria.

Qual o meu lado Silver, por mais que eu queria compartilhar as qualidades e o jeitinho adorável. Eu estou me referindo a bipolaridade. Não que eu seja diagnosticada nem nada do gênero, não é esse o meu caso. Sejamos sinceros, eu não sou exatamente normal, tenho um lado darkness and twist.

Mudo de opinião fácil, não dou seguimento a maioria dos meus projetos. Tenho oscilações de humor e minhas emoções são em geral extremadas. Não sou uma pessoa de meios termos ou eu gosto ou não suporto.

Quinta, eu sai em família, jantar fora. Estávamos no shopping quando eu avistei um casal que havia feito faculdade comigo. Minha reação natural a qualquer um que tenha feito ou esteja relacionado aquela faculdade é me esconder. Sim eu me escondo, finjo não ver, mudo de calçada, de sentido na rua. Faço o que for para não ter que encarar essas pessoas e suas perguntas obvias.

Por que você saiu da Uece? Tem feito o que? Não deu mais noticia?

Eu tive um ano difícil, quando eu digo difícil, estou falando o pior que se pode imaginar. E isso é um dos assuntos que é não sei como falar, quero ainda tocar nesse assunto aqui, mas não hoje. Ninguém perguntou  por mim, ninguém quis saber de mim. Eu reconheço eu afastei todos os que tentaram, mas algumas pessoas tentaram. Mas aquela turma não tentou, eu nunca fui parte daquilo, eu era diferente demais, me relacionava bem até certo ponto.

Assim como o curso, eu gostava dele, gosto da matéria, mas a profissão só me satisfazia até certo ponto. Esse ponto não foi o suficiente. E de repente eu me vi tendo que aguentar pessoas que eu não queria por um curso que eu não queria.

Como eu poderia responder a alguém que em teoria era meu amigo que eu simplesmente não aguentava mais olhar para a cara dele? Como contar que eu preferia ficar trancada no quarto sozinha a pegar um ônibus e fazer pesquisa num laboratório que pelo menos outras 3 pessoas estavam loucas pra entrar?

Larguei e não tenho remorso, foi uma das decisões que mais me deixou feliz. Minha vida está uma bagunça, mas eu não estou cursando nada obrigada.

Quem me conheceu no começo do curso deve achar absurdo isso que eu estou falando. Não consegui entender como eu posso mudar de opinião tão drasticamente. Mas essa é a verdade, eu mudei drasticamente. Eu disse, é meu lado Silver, minha bipolaridade.

Link permanente Deixe um comentário

Sobre Jake

outubro 28, 2010 at 1:59 am (aleatorias)

 

Esse é  post mais difícil que eu já escrevi. Por que uma coisa é você escrever com a improbabilidade da pessoa tema ler, outra é escrever sabendo que vez ou outra a pessoa lê e imaginar o que ela pode vir a pensar. Mas como eu vivo no modo FODA-SE.

Jake, como posso explicar essa historia para vocês?

Minha vida daria uma ótima série de tv. Mais precisamente uma série teen, algo entre a finada Warner e a nova CW, quem eu quero enganar eu sou totalmente CW material. E como toda série teen, existem casais e momentos memoráveis.

Era março de 2008, estava no primeiro semestre da faculdade. Tava rolando um encontro de estudantes do meu curso. Desculpa para turismo e zuação. O de 2008 foi sediado pela minha universidade, logo não me misturei muito, ficamos o grupo de bixos unidos. No ultimo dia de evento, na festa de encerramento, eu estava dançando quando ele apareceu.

Ele era “amigo” de uma amiga minha. Tinha que conhecer aquele cara. Naturalmente eu me aproximei, fui me colocando na conversa e me fazendo notar. Ele terminou o papo e não foi embora, um bom sinal. Eu usei todas as minhas indiretas e ele não entendia, para melhorar tinha um idiota bêbado da Física perturbando o coitado por ele ser baiano. O jeito foi ir pra ofensiva aberta.

– Acho que o Físico ficou afim de ti.

– Não que é isso.

– É o jeito baiano

– Nada disso, não tem essa de jeito baiano não  – Eu pensei que ele não poderia ser mais lento.

– Eu quis dizer que ninguém resiste ao jeito baiano

– Você está resistindo ai – Eu me enganei, ele poderia sim ser mais lento

– Quem foi que te disse esse absurdo?

O obvio aconteceu, foi marcante. Nosso beijo rolou junto com o comecinho da musica Não Precisa Mudar – Ivete Sangalo. E a gente se encaixou, mesmo ele tendo seus dois metros quase. Sério pela primeira vez eu tive que ficar na ponta do pé pra beijar alguém e eu sou alta. Foi um beijo de fazer ver estrelas, tirar o folego, mas o que se poderia imaginar de um beijo que durou uma hora. Meus amigos contaram o tempo.

Só que aquele era o ultimo dia, ele precisava voltar para casa.

Minha politica é nunca manter contato, o que aconteceu aconteceu e fim de papo. Só que ele era diferente, você sente quando alguém é diferente. E ele pegou meu nome completo. Era uma sexta a noite, no domingo pela manhã ele já tinha me adicionado no orkut (Lembre-se era começo de 2008). Trocamos msn e papos vieram e foram.

Quando um dia ele disse que se estivéssemos na mesma cidade estaríamos namorando. Que eu era isso e aquilo. Não vou negar aquilo me encantou, ele é o tipo de cara com que eu aceitaria um relacionamento sério, algo muito raro mesmo.

O mais engraçado é que não fazemos parte do mesmo mundo. Só tínhamos a química em comum (estou falando do curso da faculdade). Ele não é o tipo de cara que vê séries ou que escuta o meu tipo de musica, nem acho que ele esteja familiarizado com o tipo de balada onde gosto de ir. Ele não conhece ninguém do meu mundo, nenhum amigo. Acho até que nem sabe o nome da minha mãe.

Eu sou encantada por ele, mas sou realista. Não fico fantasiando, imaginando que um dia vamos ficar juntos nem nada. Eu me envolvi, tive um namorado, me “apaixonei”. Ele tem/tinha uma namorada.

Eu só não consigo deixar de lado os sentimentos por ele. Vira e mexe eu lembro, quando a gente conversa sai faísca.

Ele é o cara certo com quem eu nunca vou conseguir ficar.

Link permanente Deixe um comentário

Sobre show e pessoas

outubro 16, 2010 at 4:02 pm (aleatorias)

 

Adoro a empolgação de um bom show. Seja sozinha ou na companhia de amigos, eu sempre tenho bons momentos em show’s. Já fui a cinco edições do Ceara Music e todas são de algum jeito marcante. Deve vez o primeiro dia teve BEP e Biquíni Cavadão. Certo, outras bandas se apresentaram, Skank fez um bom show até, só que nada foi como esses dois show’s e é sobre eles que eu gostaria de falar.

Ano passado eu não fui ao CM. Não me arrependo disso, nem um pouco. Parecia que a época do festival havia passado e nada me agradava muito. Então esse ano começaram os boatos que o Black iria se apresentar, assim que foi confirmado eu corri pra conseguir meu ingresso.

O Show foi incrível? Foi, estrutura fantástica, ótima seleção de musicas, entretenimento de primeira. Só que eu senti falta de companhia. Não que eu não tenha gostando de quem foi comigo, longe disso, eu adorei aquele grupinho, a gente funciona junto e ri muito. Só que o show do BEP pedi aqueles amigos farristas, que topam virar copos e que dançam com você até o chão.

A verdade é que os amigos que eu queria ter naquele show não poderiam estar lá comigo. Moram em outros estados. Era impossível não pensar. Até um momento engraçado. No meio do show, começaram a cantar Don’t Stop Belivin. Por mais que o Autor esteja de saturado da musica, ela é Glee e pra mim Glee é ele. Não tinha como não lembrar.

 

Biquíni Cavadão tem uma historia com Ceara Music e eu tenho uma historia com Biquíni. Desde 2004 eu só perdi três show deles aqui na cidade. Já tive uns 5 show’s memorais deles. Estive na gravação do DVD, no lançamento desse mesmo DVD que foi um show muito muito muito bom. Estive no show comemorando os 25 anos de carreira, onde choveu e todo mundo curtiu o show em baixo de chuva e foi talvez o melhor show de todos.

Dessa vez Bruno Gouveia estava mais emotivo do que nunca. Com direito a choro durante a apresentação. Se você é fã de Biquíni precisa ver um show deles em Fortaleza, por que show aqui é diferente, tem uma energia diferente. Show aqui é cantado do começo ao fim pelos fãs, até mesmo quando ele canta uma musica que vai estar no próximo CD da banda, nós já sabemos cantar.

Show do Biquíni é pra pular, gritar, cantar e sair completamente sem voz depois do show.

Assim como não tinha como não lembrar em Dont Stop  Belivin. Durante o show os meninos cantaram uma musica que está na trilha sonora da novela Ti Ti Ti. Uma queridinha minha e que tem a cara do amigo do post sobre alguém que desconheço.

Como eu disse, foram bons show’s. Mas além dos amigos que estavam lá eu queria muitos amigos que não estavam.

Link permanente 2 Comentários

5 boas razões para ver séries disney

outubro 12, 2010 at 9:59 pm (Top)

Todo mundo que me conhece sabe do meu gosto duvidoso.  Eu não tenho vergonha alguma de dizer que adoro séries infantis, séries disney para ser mais precisa. Não gosto muito de outros canais.

Você vem me perguntar por que eu gosto dessas séries? Olha para um roteiro infantil, algumas até tem roteiros interessantes, não todas, mas algumas tem boas tiradas, tiradas até sutis que vem no nome de um personagem, no figurino utilizado para homenagear uma saga clássica de ficção, enfim, isso eu poderia passar horas falando.

Mas os cinco motivos que eu vim apresentar aqui são bem mais agradáveis de se ver, se é que posso falar isso.

Sterling Knight, o motivo de ver Sunny entre Estrelas

Sterling é o ator norte-americano, nascido no Texas, de 21 anos interprete do Chad Dylan Cooper em Sunny. Também estrelou os filmes Startruck (disney) e 17 outra vez (aquele do Zac Efron).

Olha esse esses olhinhos azuis, esse sorrisinho de menino bom. Não sou fã de loiros, mas para ele eu abro sim uma exceção fácil fácil. E como vocês já viram aqui, ele ainda tem uma voz lindinha.

David Henrie, o motivo de ver Feiticeiros de Waverly Place

David ator de 21 anos, vindo direto da Califórnia (abençoada seja esse estado) trabalha desde os cedo, com direito a participações em séries como Grey’s Anatomy (um menino morto) e How I Met You Mother (onde é um dos filhos do protagonista). Conseguiu destaque ao interpretar Justin Russo na série disney FWP.

Eu fico até sem saber o que falar, olha essa carinha, olha essa barriguinha… Ai estou emocionada demais para conseguir formular uma frase completa. E super acho que ele poderia ser um irmão do James Lafferty ou do Nathan em OTH.

Eduardo Gil, o motivo de ver Quando Toca o Sino

Eduardo Gil é ator e cantor carioca, teve participação rápida em Malhação, depois de ter participado de HSM – a seleção passou a ser integrante do elenco da série disney (nacional) Quando Toca o Sino além de apresentar a Copa Disney no canal Disney XD

Gente, esse menino do Rio mexe comigo. Cara de quem vive na praia, exemplo da geração saúde. E que saúde meu filho, coisa abençoada é a cidade do Rio de Janeiro.

Joe Jonas, o motivo de ver Jonas

O irmão do meio da banda Jonas Brothers, Joe Jonas  de 21 anos. Além de cantor é ator, assim como os irmãos. Vocalista da banda, esta preparando o seu primeiro cd solo que deve estar voltado para o pop dançante. Interpreta Joe Lucas na série Jonas e Shane nos filmes da franquia Camp Rock.

Eu não ia com a cara dele, nem achava ele bonito. Admirar pernas e bunda não é a mesma coisa que achar bonito, gostaria de deixar isso bem claro. Só que o tempo passa, as pessoas mudam, crescem, entram na academia e cortam o cabelo. O resultado é isso, o menino ficou gato, eu até tolero essa barbinha nele.

Nick Jonas, outro motivo para ver Jonas

O mais novo Jonas, Nick de 18 anos, é guitarrista, cantor, ator, fundou uma instituição de caridade para crianças diabéticas (como ele) e isso tudo antes dos 17 anos. Na serie Jonas interpreta Nick Lucas, em Camp Rock é Nate. Possui o trabalho solo Nick Jonas and the administration.

Ele é o mais novo da lista e o mais delicinha. Essa carinha de bom menino, esse cabelinho cacheada, esses olhos castanhos intensos. Ai queria nem saber de anel de castidade falo mesmo. E agora que ele tá todo saradinho, afinal ir para a academia é programa de família pelo menos na família Jonas, acho válido.

Link permanente 2 Comentários

Sobre alguém que eu desconheço

outubro 11, 2010 at 3:33 am (aleatorias)

Hoje é aniversario de alguém querido. Alguém que eu não conheço e conheço ao mesmo tempo.

Curioso isso, eu sempre achei curioso essas amizades que surgem pela net. Eu já tive algumas experiencias, algumas amizades de net já acabaram, outras se mantem no sentimento mesmo sem tanto contato hoje em dia. Mas acho que em certos estágios, a amizade não precisa daquele contato diário, basta saber que o outro existe. Basta uma vez ou outra ouvir um “Eu sinto sua falta”, “Escutei essa musica e lembrei de você”, “Eu te amo” .

De qualquer jeito, hoje é aniversario de alguém que eu desconheço a quase um ano. É isso mesmo? Quase um ano. Eu o desconheci comentando numa review, foram muitas reviews e muitos comentários longos depois disso. E de repente um dia eu era parte desse grupo, de repente um dia eu comecei a conversa com ele  e a contar coisas sobre mim e a escutar coisas sobre ele. Começamos a rir, tirar brincadeira um com o outro e queremos sair juntos, enfim, De repente um dia acho que nos tornamos amigos.

Engraçado como essas coisas acontecem. Segundo minha mãe, e a química, atraímos seres semelhantes. Numa especie de magnetismo ou polaridade.

Por que a Cristina Yang na imagem do post? Gostamos de Grey’s Anatomy. Eu sempre me considerei uma Yang, ainda mais nessa temporada, digamos que eu vive recentemente o que ela está passando nessa nova temporada. E eu lembro quando ele disse que era a Yang, com direito a uma Meredith e tudo. Acho ele mais Lexie do que Yang, porém acho que toda Yang tem um pouco de Lexie e toda a Lexie tem um pouco de Yang em si.

Bem, hoje é aniversario de alguém que eu desconheço. E tudo que eu queria era desejar parabéns. Mas acho que ele já se acostumou com o fato d’eu não saber falar (escrever) pouco.

Link permanente 3 Comentários

Sobre Um ponto final

outubro 2, 2010 at 9:04 pm (aleatorias)

Existem pedidos e pedidos.

Fiquei surpresa ao saber que o Garoto do post Sobre Aquele Garoto, que ninguém faz nem ideia de quem seja, leia meu blog. Isso realmente me surpreende, na verdade devo imaginar que não seja bem ele que leia isso, mas isso não me importa.

Meu blog, meu ponto de vista, vou escrever sobre o que e quem quiser do jeito que bem entender. Por isso não dei nomes, são sempre formas genéricas.

Então ele me pediu para tirar os textos que citavam ele aqui. Bem, não irei tirar nenhum. Pode me esculhambar como fizeram no formspring. Pode ficar com raivinha e me coonsidere a pior pessoa do planeta. Ficarei agradecida.

Sério, não estou sendo ironica. Eu precisava disso, precisava desse ponto final.

Tenho um carinho muito grande por você e se você quiser, algo que eu duvido muito, manterei a promessa que eu te fiz.  But I’ve always been a lonely girl and always will be.

O que mais se pode dizer além de, vejo você em outra vida!

P.S.: Olhe o lado positivo, você não deve ser citado outra vez aqui

P.P.: A caixa de comentários está a disposição de vocês dois!

Link permanente 5 Comentários